Visitantes

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Sobre a eleição do Prof. Jefferson Manhães de Azevedo para a reitoria do Instituto Federal Fluminense




Em uma coisa todo servidor, ex-aluno ou pessoa que convive com o cotidiano do Instituto Federal Fluminense nos últimos 7 anos concorda: o Prof. Jefferson Manhães Azevedo quis muito ser Reitor.

            Tive a oportunidade de conversar por duas ocasiões com o Prof. Jefferson.

            A primeira delas logo após a sua primeira eleição para Diretor Geral do Campus Campos-Centro, quando o mesmo visitou o Campus Itaperuna para debater a proposta de criação do CENPE – Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFF, isso foi nos idos de 2010. Lá pelas tantas apresentei ao Prof. Jefferson uma crítica construtiva dizendo que ele tinha potencial para ser um futuro reitor do IFF, mas que a tática política que ele estava adotando era de terra arrasada. Todos os que conviveram e convivem com o dia-a-dia do IFF desde 2009 sabem do que estou falando.

            A segunda vez que tive a oportunidade de conversar com o Prof. Jefferson foi na abertura do II InovaIFF no último dia 17 de novembro na UPEA. Perguntei pra ele como era ser candidato único a reitor e disse que ele ganharia a eleição com os pés nas costas (sic). Mas como sempre minha “impertinência” falou mais alto e soltei o verbo: “Esta é a hora do Jefferson Manhães Azevedo mostrar se ele é o oportunista, arrivista e carreirista que muitos acreditam que ele seja ou o homem público credenciado a conduzir a instituição para contribuir num projeto coletivo e democrático de sociedade baseado na educação e no conhecimento científico-tecnológico”. (A parte dos istas foi dita ipsis litteris, a segunda parte com o mesmo sentido escrito aqui). Tinha um senhor acompanhando o Prof. Jefferson que arregalou uns olhos de Arcoverde e logo o chamou para pegar a estrada para irem à Maricá para uma reunião de campanha. Desejei ao Prof. Jefferson uma boa campanha e repeti "impertinentemente" os dois caminhos que ele tinha diante de si.

            Como servidor do IFF, cidadão brasileiro e do noroeste fluminense espero, com muita sinceridade, que o Prof. Jefferson Manhães de Azevedo siga pela porta estreita.

         

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: