Visitantes

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Ser contra o Levy não implica ser contra a CPMF



 Charge de Laerte sobre a CPMF

Sou totalmente contra o ajuste do executivo do Banco Bradesco Joaquim Levy, mas isso não faz com que seja contra a CPMF. Muito se tem falado sobre a taxação das grandes fortunas e eu sou totalmente favorável a essa medida. Mas hoje no Brasil o imposto sobre movimentação financeira é a forma mais eficaz de taxar os ricos.

Quando a CPMF foi derrubada nos idos de 2007 presenciamos a forma como o monstro SIST manipula as mentes e os corações dos incautos. Era possível ver trabalhadores assalariados sendo a favor da derrubada do imposto. Essa desinformação da classe trabalhadora, em 2007 e hoje, é reflexo também da falta de inclusão política do povo, como diz Frei Betto.

A classe média como sempre cumpriu seu papel de caricatura da elite e levantou barricada contra a CPMF junto com a FIESP e a alta burguesia desse país. Esse é historicamente o papel da classe média, como diria um tio meu: “Comer taioba e arrotar caviar”.

Mas sobre a CPMF vamos a um simples exercício matemático:

1) A alíquota do imposto é de 0,2% pois bem fazendo-se a simulação do pagamento da CPMF para três classes sociais, tem-se:

a) Trabalhador que movimenta R$ 1.000,00 mensais em sua conta corrente vai pagar R$ 2,00 por mês de CPMF.

b) Um pequeno empresário, profissional liberal ou outro membro da classe média que movimenta R$ 30.000,00 mensais em sua conta corrente vai pagar R$ 60,00 por mês de CPMF.

c) Um ricaço membro da alta burguesia nacional que movimenta R$ 1 bilhão mensais (olha que fui modesto na cifra) em sua conta corrente vai pagar R$ 2.000.000 por mês de CPMF. Isso mesmo DOIS MILHÕES DE REAIS POR MÊS!!!

Como diria Chico Science: E aí meu brother “de que lado você samba?”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: