Visitantes

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Sobre a Copa do Mundo no Brasil 3: Ronaldo "O Fenômeno"

Comentário: Os ratos pulando pra fora do navio. Esse cara é mesmo um rato. Os destaques em vermelho nos levam à reflexões, como vovó já dizia: "Pra quem sabe ler um pingo é letra".

Tio Ronaldam, convoca pra Copa - Quanto não ganhou com esse comercial?



Ronaldo valoriza cargo no COL, mas critica políticos e não vê Copa do Mundo como 'salvação' do país

Fenômeno não se arrepende de ter aceitado cargo para ajudar na organização do Mundial e, de olho na evolução do Brasil, pede consciência ao povo nas eleições deste ano

Do Lancenet

Bruno Andrade - 25/04/2014


Membro do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo, Ronaldo acredita que o Mundial não resolverá todos os problemas enfrentados pelo Brasil. Convidado especial do 1° Fórum de Gestão Esportiva, organizado pela IESE Business School, nesta sexta-feira, em São Paulo, o ex-atacante da Seleção Brasileira criticou duramente os políticos do país.
- Nas Copas fora do país, como jogador, eu sempre vi tudo certo, aeroportos e hotéis tranquilos, tudo em ordem. Agora, como se trata de Brasil, as coisas se complicam ainda mais. Mas ainda vejo a Copa como uma grande oportunidade de crescimento para o país. Uma oportunidade para crescermos. No entanto, a Copa do Mundo não vai resolver todos os nossos problemas. E são muitos problemas - declarou.
- Infelizmente, muitas obras não vão ficar prontas até a Copa, mas já fico feliz de ver que elas ao menos começaram. O brasileiro tem achado que a Copa vai ser a salvação do nosso pais, com avanço na educação, saúde e segurança. Ela vai trazer vários benefícios, mas não vai resolver estes problemas - complementou.
Ao criticar os políticos, Ronaldo lembrou que somente os esportistas têm dado alegrias ao povo brasileiro nos últimos anos. Hoje, no entanto, o ex-jogador está trabalhando diretamente com a organização da Copa do Mundo.
- Não me arrependo (de ter assumido o cargo de membro do COL), pois meu papel é o de motivar as pessoas sobre as oportunidades com a Copa. Sou contra superfaturamento de obras e estádios, contra a corrupção, mas não sou eu que faço auditoria, não sou eu que assino contratos, não sou eu que contrato ninguém. Espero que a população cobre cada vez mais os nossos políticos. A população está de saco cheio com tudo o que está acontecendo no país - criticou.
Revoltado com a situação política do país, o Fenômeno ainda fez um apelo aos brasileiros: votar com consciência nas eleições deste ano (para presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual).
- Está chegando a hora de mostrarmos o nosso valor, as eleições estão chegando e é preciso escolher bem os candidatos. É a população que escolhe os politicos, não pode reclamar depois. É hora de organizar a casa e fazer as coisas direito. Investir em saúde e, principalmente, em educação, que é a coisa mais importante e que irá salvar o nosso futuro. Precisamos escolher bem os nossos politicos - finalizou.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: