Visitantes

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

7 de setembro: Dima lança Plano para o Brasil crescer!!!

Comentário: Muito bom o pronunciamento da Presidenta Dilma ontem em rede nacional. Temos que nos mobilizar para fiscalizar a execução dessas obras que vão como disse a Presidenta, construir uma grande infra-estrutura para o Brasil. O preço que pagamos pela energia elétrica em nosso país é absurdo, essa medida era mais que necessária. Mas a diminuição das tarifas não deve implicar no recuo das pesquisas por geração de energia a partir de fontes alternativas. Temos um grande potencial de geração de energia a partir da biomassa (com destaque para o reaproveitamento de resíduos), dos ventos e do Sol. Em relação à logística temos que urgentemente tirar essas jamantas das rodovias brasileiras, não quero com isso que os companheiros caminhoneiros fiquem sem emprego. Mas é um absurdo vermos carretas carregando toneladas e mais toneladas cruzando o país de norte a sul. As grandes cargas devem ser transportadas em trilhos e aos caminhoneiros cabem os pequenos fretes para distâncias pequenas. É um absurdo o que FHC e os tucanos fizeram com as ferrovias. Dilma propõe um regime de concessão que não é, segundo ela, sinônimo de privatização (em relação a isso já postei matéria nesse blog). Esperemos que não seja mesmo. A luta pelo fortalecimento das ferrovias é a luta contra os gigantes da indústria do petróleo e da autopeças. Sobre as taxas de juros esperamos que cheguemos a taxas civilizatórias e que o setor produtivo, lembrando a luta do grande José de Alencar, vença os especuladores. É muito bom comemorar esse 7 de setembro com uma mulher na presidência do Brasil e ainda mais com uma mulher porreta igual a Dilma! Que os nosso sentimentos por amor a essa terra sejam redobrados e que a força e garra para construir um país melhor para os nossos filhos sejam elevadas a enésima potência. Gritemos nesse 7 de setembro em alto e bom som o grito da independência que afaste da política os lobbies, os corruptos e esse pragmatismo que está acabando com os sonhos de quem quer o nosso Brasil de fato grande.   

Do Correio do Brasil

Dilma anuncia plano de crescimento para o Brasil

6/9/2012 18:20,  Por Agência Brasil

Dilma anuncia política de crescimento para o país
As tarifas de energia elétrica vão diminuir 16,2% para os consumidores residenciais e 28% para as indústrias a partir do início do ano que vem. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pela presidenta Dilma Rousseff, em pronunciamento à nação por ocasião do Sete de Setembro. Segundo ela, a medida vai servir para aumentar a competitividade do país.
– Os ganhos serão usados tanto para a redução de preços para o consumidor brasileiro quanto para os produtos de exportação, o que vai abrir mais mercados dentro e fora do país”, disse. Segundo a presidenta da República, a medida também vai ajudar as indústrias que estejam em dificuldades, evitando demissões. Dilma explicou que a diminuição para o setor produtivo será maior porque os custos de distribuição da energia são menores, já que as indústrias operam em alta tensão.
Os detalhes da medida serão divulgados na próxima terça-feira em evento no Palácio do Planalto. A redução do preço da energia deve passar pela diminuição ou extinção de alguns dos dez encargos setoriais cobrados atualmente, que representam cerca de 10% do preço da energia. O governo também deverá anunciar a renovação das concessões do setor elétrico que começam a vencer a partir de 2015, como hidrelétricas e linhas de transmissão.
A presidenta também lembrou o pacote de medidas anunciado recentemente pelo governo, que incluiu a concessão de 7,5 mil quilômetros de rodovias e 10 mil quilômetros de ferrovias, além da criação da Empresa de Planejamento e Logística (EPL). Os investimentos em rodovias e ferrovias vão somar R$ 133 bilhões nos próximos 25 anos.
A diminuição do preço da energia faz parte da estratégia do governo para reativar a economia, que, segundo Dilma, já está se recuperando dos efeitos da crise financeira internacional. A medida, segundo a presidenta, vai agregar o fator competitividade ao tripé do atual modelo de desenvolvimento do Brasil, baseado em estabilidade, crescimento e inclusão.
Além de avanços na infraestrutura, a presidenta também defendeu a manutenção da tendência de queda de juros e de diminuição da carga tributária para que o país continue a gerar empregos.
“Estamos conseguindo, por exemplo, uma marcha inédita de redução constante e vigorosa dos juros, que fez a Selic baixar para cerca de 2% ao ano em termos reais e fez a taxa de juros em longo prazo cair para menos de 1% ao ano, também em termos reais. Isso me alegra, mas confesso que ainda não estou satisfeita. Porque os bancos, as financeiras e de forma muito especial os cartões de crédito podem reduzir ainda mais as taxas cobradas ao consumidor final, diminuindo a níveis civilizados seus ganhos”, disse.
Dilma disse ainda que está aberta ao diálogo com “todas as forças políticas e produtivas” do país para o aprimoramento do sistema tributário.
– O nosso governo está preocupado mais que nunca com a garantia do emprego e o ganho salarial do trabalhador, a prova disso, é que ao contrário da maioria dos países do mundo, aqui não houve desemprego nem perda de direitos dos trabalhadores e somos um dos poucos países do mundo onde houve ganho real de salários – declarou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: