Visitantes

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Show Business: Briga do Charlie Brown Jr.

Comentário: Como diria Marcelo Nova: "Lá vem a garota pintada de zarcão, ela tá confundindo a cabeça do Cheirão ..." Hehehehehehehehehehe. Esse colunista Regis Tadeu é um figuraça, não tem papas na língua e fala com propriedade quando o assunto é música. Gostei da comparação desses "roqueiros" com telespectadores dos programas da Márcia Goldsmith. Quanto ao chilique dos dois, parafraseando um provérbio popular (dizem ser inglês): "Quando o dinheiro fala, a verdade cala".

Vejam os vídeos:

 

“Lavagem de roupa suja” em pleno palco escancara as entranhas do show business

Nunca me canso em alertar aos mais jovens e aos mais ingênuos que o mundo do show business é muito diferente do universo de glamour que eles imaginam.
Poucas coisas são tão desmistificadoras quanto presenciar o que se passa nos bastidores de programas de TV e de grandes shows. A maneira fria e por vezes desonesta com que o público é tratado na intimidade de um camarim e nos corredores dos estúdios e de grandes festivais é algo que faria qualquer um nunca mais sair de casa para presenciar porcaria alguma.
Também é uma realidade que ter uma carreira de sucesso dentro de uma banda significa ter um "casamento" entre seus integrantes. Assim como acontece no casamento de verdade, a convivência contínua — no caso, na estrada e nos estúdios, principalmente - precisa ser muito bem administrada para não descambe para um desgaste irreversível ou, na pior das hipóteses, para a porrada explícita.
Outra realidade é ainda mais dura e cruel: toda artista e banda de sucesso é uma empresa. Sem aspas, porque é isto mesmo. Ter uma carreira de sucesso significa lidar com advogados e contadores O TEMPO TODO. Significa contratar assessorias de imprensa para divulgar e, muitas vezes, mentir em nome do artista, que ainda por cima é obrigado a lidar com gente inescrupulosa e desonesta para conseguir determinados objetivos na carreira e ter que lidar com fãs inconvenientes O TEMPO TODO. Luxo, glamour, grana, mulherada? Isto só rola para poucos e apenas em uns alguns raros momentos...
Por trabalhar no meio musical há vários anos — e de uns tempos para cá também no mundo televisivo e do rádio -, vi com meus próprios olhos coisas que beiraram o inacreditável e ouvi da boca daqueles diretamente envolvidos em episódios controversos histórias verídicas e grotescas. Se você soubesse a quantidade de músicos que saem de uma banda por causa de trocas de porradas entre os integrantes, adultérios descobertos e roubalheiras de dinheiro, ficaria estarrecido. Sabe aquele papo "fulano saiu do grupo X por causa de 'diferenças musicais'"? Isto só acontece de verdade em 3% dos casos. No restante, o que rola de verdade é aquilo citei anteriormente. Pode acreditar.
Resolvi escrever a respeito disto porque um exemplo recente mostrou que, às vezes, este tipo de sentimento extrapola as fronteiras do backstage e acaba invadindo o próprio palco, que é o lugar sagrado para qualquer artista, seja ele tranquilo como o James Taylor ou alucinado como o Iggy Pop.
Veja o vídeo abaixo:
Para quem não entendeu, trata-se de um tremendo esporro que o vocalista Chorão, do Charlie Brown Jr., deu no baixista do grupo, Champignon, na frente de toda uma plateia em um show domingo passado em Apucarana (PR), e que acabou sendo gravado por um fã. Calado e sem poder responder — o próprio Chorão avisou que havia retirado o microfone dele para evitar que ele "falasse merda" -, Champignon ficou ouvindo toda a esculhambação de maneira humilhante e aguentou tudo até o momento em que Chorão avisou que iriam tocar a música "O Preço". Foi então que o baixista largou o seu instrumento e abandonou o palco, obrigando a banda a tocar o restante da apresentação sem ele.
Tão inacreditável quanto o acontecimento em si foi perceber que o público foi ao delírio com esta que foi certamente uma das cenas mais lamentáveis da história da música brasileira em todos os tempos. Hoje em dia, as pessoas andam tão ávidas por boatos, desgraças e baixarias por parte dos artistas que até mesmo "roqueiros" na plateia se deliciam com este tipo de coisa, agindo exatamente como espectadores descerebrados de programas de fofoca da TV. Que praga isto se tornou...
Ainda que Chorão tenha razão ao afirmar que o baixista voltou a tocar com o grupo por causa de dinheiro, isto não é motivo para que este tipo de "roupa suja" tenha sido lavada em público, ainda mais levando em consideração que todo músico profissional toca por dinheiro. Ou os cachês agora são pagos em discos, pacotes de arroz, uísque ou Ovomaltine e ninguém me avisou?
A coisa pegou tão mal — entre os contratantes de shows, principalmente — que, antes que os shows marcados começassem a ser cancelados e que futuras apresentações não fossem mais agendadas, os dois protagonistas deste episódio grotesco resolveram fingir que está tudo bem e gravaram um novo vídeo, agora pedindo desculpas. Veja abaixo:
Não é de se estranhar que nos dias de hoje ainda existam pessoas que celebrem este tipo de coisa com o grito "isto é rock n' roll, porra!", dada a pouca capacidade mental existente no espaço existente entre as orelhas dos fãs. Mesmo no passado, histórias de bandas quebrando quartos, jogando TVs pela janela e apostando corrida de moto nos corredores de hotéis de luxo sempre soaram como babaquice em escala extrema para mim. Ser "roqueiro" nunca foi passaporte para a estupidez, ainda que muita gente pense o contrário, o que explica a ainda existente idolatria por panacas como Axl Rose, os irmãos Noel e Liam Gallagher (ex-Oasis) e outros "arruaceiros de butique".
O que Chorão e Champignon — dois caras gentis e simpáticos em todas as vezes que os entrevistei no passado, diga-se de passagem — deveriam ter feito é resolvido qualquer pendência entre eles longe dos olhos das plateias. Afinal de contas, a gente paga ingresso para ver um show e não para assistir "DR" ("discussão de relação") em público.
Agora, se tem anormal que se delicia com isto, aí já é caso para psicanalista, né?

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Brasileiro bate recorde nos 100 m das Paralimpíadas

Comentário: Volto a dizer que a cobertura das Paralimpíadas era para ser maior. Mais um recorde desses brasileiros maravilhosos que NÃO DESISTEM NUNCA! Parabéns Yohansson!!!

Do Correio do Brasil

Paraolimpíadas: Yohansson bate recorde mundial nos 100m

6/9/2012 12:53,  Por Redação, com CPB - de Londres




Yohansson fez 10s94 nos 100m T45 e bate seu próprio recorde
O brasileiro Yohansson Nascimento estabeleceu o novo recorde mundial dos 100m T45 na manhã desta quinta-feira no Estádio Olímpico. Ele correu as eliminatórias em 10s94, sete centésimos abaixo da marca anterior, que era dele. Este é  o quarto recorde que Yohansson bate nos Jogos de Londres (ele já baixara duas vezes o tempo nos 200m e uma nos 400m).
Com o resultado, Yohansson classificou-se em primeiro e corre por mais um ouro às 20h12 (16h12 de Brasília). Antônio Delfino também disputou as eliminatórias dos 100m T46. Ele fez o quarto tempo em sua bateria, e não se classificou para a final.
O Brasil está em quatro finais do atletismo nesta quinta-feira: Yohansson nos 100m T46, às 20h12 (16h12 de Brasília); Viviane Soares nos 100m T13, às 20h20 (16h20); Marco Aurélio Borges no Lançamento de Disco F44, às 21h (17h), e Alan Fonteles nos 100m T44, contra o britânico recordista mundial Jonnie Peacock e o sul-africano Oscar Pistorius, às 21h24 (17h24). Lucas Prado, Daniel Silva e Carlos Bartô correm as eliminatórias dos 400m T11, às 21h44 (17h44).
Outros três brasileiros disputaram eliminatórias nesta manhã. Jenifer Santos correu os 200m T38 em 32s03, fez o sexto tempo na sua bateria e ficou em décimo geral, mesmo resultado de André Andrade, que fez os 200m T13 em 22s96. Alice Correa encerrou a manhã, na semifinal dos 200m T12. A jovem de 16 anos fez o melhor tempo de sua vida, 25s92, ficou em segundo na bateria, sexto geral, mas não se classificou para final.
No campo, Shirlene Coelho foi a melhor colocada: ela terminou o Lançamento de Disco F37 em quinto, com a marca de 27,58m, conquistada em sua última tentativa. Jonathan Santos terminou o Arremesso de Peso F4 em sétimo, com 10.88m. Já Luciano Pereira queimou suas duas primeiras tentativas no Salto Triplo F11 e terminou a prova em nono, com a marca alcançada no terceiro salto, 11,02m.

Brasileiros são otimistas em relação ao futuro da educação

Comentário: Essa expectativa da população brasileira deve vir acompanhada de compromisso do governo de valorizar os profissionais da área e investir mais na educação. Se o governo assumir esses compromissos teremos no outro lado a maior responsabilidade dos educadores e a maior participação da sociedade e melhores resultados para o país.

 

Do Correio do Brasil

 

Brasileiros estão entre os mais otimistas em relação ao futuro da educação



6/9/2012 13:16,  Por Redação, com ABr - de Salamanca, Espanha


Os brasileiros estão entre os mais otimistas em relação ao futuro da educação no país

Nos países das Américas Central e do Sul, a população acredita que a educação irá melhorar na próxima década, mas muitos cidadãos ainda dão “nota vermelha” para os sistemas locais de ensino. É o que aponta a pesquisa Olhares sobre a Educação Ibero-Americana, divulgada nesta quinta-feira, pela Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI). No levantamento, foram entrevistadas mais de 22 mil pessoas em 18 países da região, incluindo o Brasil.
Os brasileiros estão entre os mais otimistas em relação ao futuro da educação no país nos próximos dez anos. Para 62% dos entrevistados, a educação vai melhorar, 26% acreditam que ficará no mesmo patamar e 9% avaliam que irá piorar. Apenas o Paraguai tem um resultado melhor: naquele país, 64% esperam avanços na área. Já os hondurenhos são os que menos acreditam no futuro do sistema educacional de seu país: só 26% acham que a situação irá melhorar, enquanto 37% acreditam que ficará no mesmo nível e 23% preveem piora. Em todos os países, o percentual de pessoas que avaliam de forma positiva o futuro da educação é superior ao daquelas que têm uma percepção negativa.
- Esse otimismo do cidadão é um fator de enorme pressão aos sistemas educativos. Expectativas positivas contribuem fortemente para que a educação funcione – avalia o secretário-geral da OEI, Álvaro Marchesi.
Por outro lado, os brasileiros estão entre os que têm a pior avaliação sobre a qualidade do ensino público no seu país. A nota atribuída pelos entrevistados, em uma escala de 0 a 10, foi 5,2 pontos, a quarta mais baixa entre os países pesquisados, ao lado de Honduras. O país que, na avaliação dos entrevistados, tem o pior sistema de ensino é o Chile, cuja nota foi 4,6. Os mais satisfeitos são os costa-riquenhos e os nicaraguenses, que atribuíram nota 7 à educação.
O relatório destaca, entretanto, que os resultados devem ser analisados com prudência, já que a percepção dos cidadãos está ligada às circunstâncias sociais, econômicas e políticas de cada país no momento em que a pesquisa foi feita. “Estamos analisando expectativas e não indicadores concretos, que muitas vezes não correspondem às opiniões da população”, destacou Marchesi.
Os entrevistados também elegeram o que consideram prioridades para a educação avançar. Em primeiro lugar, aparece melhorar a qualidade das instalações, com 45% das respostas. Na sequência, estão melhorar a formação do professor (41%), melhorar o salário do professor (29%) e incorporar as novas tecnologias no ensino (28%). Só 9% acham que aumentar a jornada escolar diária é importante para fortalecer a aprendizagem. Cada entrevistado pôde marcar mais de uma opção.
O Brasil foi o país que registrou o maior o percentual de pessoas que consideram o aumento dos salários dos professores uma medida prioritária para melhorar a educação: 57% marcaram essa opção, contra 29%, considerando a média das respostas de todos os países latino-americanos. O percentual de brasileiros que avaliam como bom ou muito bom o nível de conhecimento dos professores sobre os temas que lecionam foi 81%, acima da média da região (77%). Os professores mais mal avaliados foram os do Chile (58%). Na outra ponta, estão os da Colômbia (90%).

7 de setembro: Dima lança Plano para o Brasil crescer!!!

Comentário: Muito bom o pronunciamento da Presidenta Dilma ontem em rede nacional. Temos que nos mobilizar para fiscalizar a execução dessas obras que vão como disse a Presidenta, construir uma grande infra-estrutura para o Brasil. O preço que pagamos pela energia elétrica em nosso país é absurdo, essa medida era mais que necessária. Mas a diminuição das tarifas não deve implicar no recuo das pesquisas por geração de energia a partir de fontes alternativas. Temos um grande potencial de geração de energia a partir da biomassa (com destaque para o reaproveitamento de resíduos), dos ventos e do Sol. Em relação à logística temos que urgentemente tirar essas jamantas das rodovias brasileiras, não quero com isso que os companheiros caminhoneiros fiquem sem emprego. Mas é um absurdo vermos carretas carregando toneladas e mais toneladas cruzando o país de norte a sul. As grandes cargas devem ser transportadas em trilhos e aos caminhoneiros cabem os pequenos fretes para distâncias pequenas. É um absurdo o que FHC e os tucanos fizeram com as ferrovias. Dilma propõe um regime de concessão que não é, segundo ela, sinônimo de privatização (em relação a isso já postei matéria nesse blog). Esperemos que não seja mesmo. A luta pelo fortalecimento das ferrovias é a luta contra os gigantes da indústria do petróleo e da autopeças. Sobre as taxas de juros esperamos que cheguemos a taxas civilizatórias e que o setor produtivo, lembrando a luta do grande José de Alencar, vença os especuladores. É muito bom comemorar esse 7 de setembro com uma mulher na presidência do Brasil e ainda mais com uma mulher porreta igual a Dilma! Que os nosso sentimentos por amor a essa terra sejam redobrados e que a força e garra para construir um país melhor para os nossos filhos sejam elevadas a enésima potência. Gritemos nesse 7 de setembro em alto e bom som o grito da independência que afaste da política os lobbies, os corruptos e esse pragmatismo que está acabando com os sonhos de quem quer o nosso Brasil de fato grande.   

Do Correio do Brasil

Dilma anuncia plano de crescimento para o Brasil

6/9/2012 18:20,  Por Agência Brasil

Dilma anuncia política de crescimento para o país
As tarifas de energia elétrica vão diminuir 16,2% para os consumidores residenciais e 28% para as indústrias a partir do início do ano que vem. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pela presidenta Dilma Rousseff, em pronunciamento à nação por ocasião do Sete de Setembro. Segundo ela, a medida vai servir para aumentar a competitividade do país.
– Os ganhos serão usados tanto para a redução de preços para o consumidor brasileiro quanto para os produtos de exportação, o que vai abrir mais mercados dentro e fora do país”, disse. Segundo a presidenta da República, a medida também vai ajudar as indústrias que estejam em dificuldades, evitando demissões. Dilma explicou que a diminuição para o setor produtivo será maior porque os custos de distribuição da energia são menores, já que as indústrias operam em alta tensão.
Os detalhes da medida serão divulgados na próxima terça-feira em evento no Palácio do Planalto. A redução do preço da energia deve passar pela diminuição ou extinção de alguns dos dez encargos setoriais cobrados atualmente, que representam cerca de 10% do preço da energia. O governo também deverá anunciar a renovação das concessões do setor elétrico que começam a vencer a partir de 2015, como hidrelétricas e linhas de transmissão.
A presidenta também lembrou o pacote de medidas anunciado recentemente pelo governo, que incluiu a concessão de 7,5 mil quilômetros de rodovias e 10 mil quilômetros de ferrovias, além da criação da Empresa de Planejamento e Logística (EPL). Os investimentos em rodovias e ferrovias vão somar R$ 133 bilhões nos próximos 25 anos.
A diminuição do preço da energia faz parte da estratégia do governo para reativar a economia, que, segundo Dilma, já está se recuperando dos efeitos da crise financeira internacional. A medida, segundo a presidenta, vai agregar o fator competitividade ao tripé do atual modelo de desenvolvimento do Brasil, baseado em estabilidade, crescimento e inclusão.
Além de avanços na infraestrutura, a presidenta também defendeu a manutenção da tendência de queda de juros e de diminuição da carga tributária para que o país continue a gerar empregos.
“Estamos conseguindo, por exemplo, uma marcha inédita de redução constante e vigorosa dos juros, que fez a Selic baixar para cerca de 2% ao ano em termos reais e fez a taxa de juros em longo prazo cair para menos de 1% ao ano, também em termos reais. Isso me alegra, mas confesso que ainda não estou satisfeita. Porque os bancos, as financeiras e de forma muito especial os cartões de crédito podem reduzir ainda mais as taxas cobradas ao consumidor final, diminuindo a níveis civilizados seus ganhos”, disse.
Dilma disse ainda que está aberta ao diálogo com “todas as forças políticas e produtivas” do país para o aprimoramento do sistema tributário.
– O nosso governo está preocupado mais que nunca com a garantia do emprego e o ganho salarial do trabalhador, a prova disso, é que ao contrário da maioria dos países do mundo, aqui não houve desemprego nem perda de direitos dos trabalhadores e somos um dos poucos países do mundo onde houve ganho real de salários – declarou.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Esporte é sinônimo de superaçao

Comentário: As paralimpíadas deveriam ter a mesma cobertura das Olimpíadas. Esses atletas são um grande exemplo para os "normais". O caso de Zanardi é uma mostra do poder do esporte para corpos e mentes. Após as Olimpíadas ouvi gente falando que o esporte não é sinônimo de saúde citando casos de atletas que chegam ao limite da exaustão para bater seus recordes. Ora, o esporte é antes de tudo sinônimo de superação.

 

Ouro de Zanardi nas Paralimpíadas emociona pilotos de todo o mundo

Competidores de diferentes gerações e das mais diversas categorias se manifestam pelas redes sociais após a conquista do italiano no ciclismo H4

Por GLOBOESPORTE.COM Londres
17 comentários
Não importa a geração, a categoria, a nacionalidade ou a experiência. O exemplo de Alessandro Zanardi é inspirador para qualquer atleta, ainda mais para aqueles que acompanharam suas conquistas e seu drama no automobilismo. Após ser bicampeão da Indy e guiar por uma equipe grande na Fórmula 1, o italiano sofreu um acidente gravíssimo ao voltar a competir nos Estados Unidos, em 2001. Quase perdeu a vida, teve suas duas pernas amputadas, mas não desistiu de lutar. Usando próteses, voltou às pistas pelo Mundial de Turismo, o WTCC, e passou a se dedicar também a outra velha paixão, o ciclismo. Conquistando bons resultados nas bicicletas adaptadas, abandonou as pistas em 2009 com a ideia de disputar os Jogos de Londres e se classificou em três modalidades. Nesta quarta-feira, tornou-se campeão paralímpico.
Alessandro Zanardi comemoração Paralimpíadas (Foto: AP)Alessandro Zanardi compete nas Paralimpíadas no circuito de Brands Hatch (Foto: AP)
Ironicamente, a conquista do italiano se deu num autódromo, o de Brands Hatch, local escolhido pelos organizadores para que os atletas do paraciclismo tivessem as mesmas condições encontradas nas provas ao ar livre em outras partes do mundo. Nesta pista, Alex já havia corrido outras vezes, de carro, em diferentes categorias. Fez pole, foi ao pódio em segundo e em terceiro, mas a vitória ainda não havia chegado. E ela veio da forma mais espetacular, consagrando uma história de vida que emocionou muitos daqueles que conheceram o italiano nas pistas. Empolgados com a conquista, diversos pilotos se manifestaram pelo Twitter.
- Zanardi ganhou o ouro olímpico e eu não consigo parar de rir, de chorar, aplaudindo. É puramente extraordinário o que ele é capaz. Eu te amo, homem! – exclamou pela rede social o lendário Mario Andretti, campeão de Fórmula 1, da Indy e vencedor das 500 Milhas de Indianápolis, e patriarca de uma família de pilotos, como o filho Michael e o neto Marco.
Outro exemplo de sucesso na Fórmula 1 e na Fórmula Indy, o veterano Emerson Fittipaldi – que atualmente se dedica à organização das Seis Horas de São paulo, etapa brasileira do Mundial de Endurance – fez questão de postar um comentário em sua página no Facebook enaltecendo a conquista do italiano. Eles competiram juntos na temporada 1996, coincidentemente a primeira de Zanardi e última de Fittipaldi na Indy.
Emerson Fittipaldi e Alex Zanardi  (Foto: Getty Images)Campeão na F-1 e na Indy, Emerson Fittipaldi é fã declarado de Alessando Zanardi (Foto: Getty Images)
- Alex Zanardi, medalhista de ouro!! Parabéns Alex, por vencer o contra-relógio individual de ciclismo H4 (com as mãos) nos jogos Paralímpicos de Londres hoje na pista de Brands Hatch! Exemplo de superação de obstáculos e sucesso! Fiquei muito contente! - disse o bicampeão mundial de Fórmula 1, campeão da Indy e duas vezes vencedor das 500 Milhas de Indianápolis.
Emoção dos velhos amigos
Os contemporâneos de Zanardi na Indy, por sinal, estavam entre os mais empolgados logo após a conquista. Um dos mais emocionados era o compatriota Max Papis, que atualmente compete na Nascar, e que é um dos melhores amigos de Alex.
- Que emoção, meu irmão Alex, estás na história! Ouro, ouro, ouro, tenho lágrimas em meus olhos e só se fala de você no Twitter, mal posso acreditar em tudo isso. Herói! – escreveu Papis, que é casado com Tatiana, uma das filhas de Emerson Fittipaldi.
Outros pilotos que dividiram as pistas com Zanardi na Indy postaram comentários elogiosos. Como o brasileiro Christian Fittipaldi, que o classificou como "um grande exemplo", do colombiano Juan Pablo Montoya, que chamou o italiano de "uma pessoa incrível", e do mexicano Adrian Fernandez, que o adjetivou como "um amigo especial". O canadense Paul Tracy descreveu Alex como "uma inspiração para todos", enquanto o brasileiro Helio Castroneves foi direto, dizendo "você é o melhor". Já o escocês Dario Franchitti, tetracampeão da categoria, deu os parabéns e aproveitou para replicar a mensagem de seu irmão Marino, que compete em provas de endurance, atestando as lágrimas que tomaram conta de toda a família: “não há um olho seco aqui nesta casa”.
Max Papis, Tony Kanaane Alex Zanardi (Foto: Getty Images)Max Papis, Tony Kanaan e Alex Zanardi na época em que correram juntos na Indy (Foto: Getty Images)
Amigo de longa data e companheiro na paixão pelo ciclismo, o brasileiro Tony Kanaan também comemorou, escrevendo repetidas vezes a palavra "ouro" em letras maiúsculas. E se divertiu ao reproduzir um comentário do pentacampeão da Nascar, Jimmie Johnson, que lembrou as clássicas comemorações de Zanardi após suas vitórias na Indy.
- Alex, espero que você faça alguns "zerinhos" após a corrida! – disse o norte-americano.
Inspiração para todas as gerações
Entre mensagens de equipes de Fórmula 1 – como Ferrari, McLaren, Lotus e Williams – e de contas oficiais de autódromos, categorias, publicações e jornalistas especializados, Zanardi foi citado no Twitter também por jovens pilotos que buscam afirmação no automobilismo. O brasileiro Luiz Razia, líder da GP2, resumiu seu sentimento em uma frase curta.
- Não há palavras para descrever o quanto inspirador é este homem – disse o baiano de 23 anos, que busca uma vaga na principal categoria do automobilismo.
Caso semelhante é o do colombiano Sebastian Saavedra, que já disputou algumas provas na Fórmula Indy, mas batalha para voltar à categoria disputando o campeonato da divisão de acesso, a Indy Lights.
- É uma história fascinante. Perder as pernas nunca o impediu de ser o melhor em tudo – escreveu o jovem piloto, de 21 anos.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Dilma assume compromisso: 10% do PIB para a educação


Comentário: Um grande avanço, no entanto temos que nos mobilizar para cobrar!!!



Do Portal Vermelho
 

Dilma assume compromisso com 10% do PIB para a educação


Pela primeira vez, a presidenta Dilma Rousseff assumiu, publicamente, o compromisso feito com a União Nacional dos Estudantes (UNE) de garantir os 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação. Ela mencionou duas fontes de recursos: todos os royalties do petróleo gerados a partir de novos contratos e 50% do fundo social do Pré-sal. “É uma posição importante do governo, que entendemos como um compromisso com a educação como eixo fundamental", comemorou Daniel Iliescu, presidente da UNE.



Ele participou da 39ª reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o chamado “Conselhão”, do qual é membro, na quinta-feira (30), quando Dilma deu a declaração.
“Nós, o governo brasileiro, somo sempre a favor de investimentos na Educação. E somos a favor de investimentos que tenham fonte de recursos. Por isso, nós concordamos com todas as políticas que impliquem em viabilizar que o Brasil possa gastar mais em Educação, possa até manter uma meta de dobrar até 2022[de 5% para 10% do PIB], desde que tenha recursos para fazê-lo”, disse a presidenta durante a abertura do Conselhão, lembrando que sem fontes de recurso, não é possível se comprometer. “Caso contrário, estaríamos praticando uma imperdoável demagogia com uma questão essencial para o país que é a educação”, completou.
Em seguida, Dilma Rousseff sinalizou com uma clara mensagem aos parlamentares: “Por isso, eu considero que seria muito oportuno que nós, no Congresso Nacional, aprovássemos o uso dos royalties e de uma parte do fundo social para garantir que esses recursos existam. Porque caso contrário, seria através da geração de impostos. Mas nós temos esses recursos passíveis de ser usados.”
A presidenta frisou que os recursos dos royalties que já têm destinação não serão tocados. Somente serão remanejados valores referentes aos novos contratos firmados “daqui para frente, de uma forma universal no país.”
“Porque a educação não é algo desse ou daquele município , é algo geral para o país. Além dos royalties, é muito justo que uma parte do fundo social, que nós construímos para lá colocar os recursos do modelo de partilha seja destinado a educação”, concluiu.
A UNE convocará para as próximas semanas uma grande blitz de estudantes e integrantes do movimento educacional para intensificar a campanha pelos 10% do PIB.
“Vamos mobilizar e unir todos os estudantes, nos DCEs[Diretórios Centrais Acadêmicos]  e nos DAs[Diretórios Acadêmicos] de todo o país, além de nos unirmos aos demais movimentos educacionais, em defesa de mais investimentos na educação via recursos do petróleo e do fundo social”, exclamou Iliescu.

sábado, 1 de setembro de 2012

Presos por roubarem comida

Comentário: Enquanto isso os criminosos de colarinho branco que roubam milhões estão aí livres e sem passar constrangimentos.

 

Do Correio do Brasil 

 

Trabalhador pega comida do lixo e vai parar na cadeia

31/8/2012 18:45,  Por Redação, com Agência Petroleira/BdF - do Rio de Janeiro

A realidade pode ser mais dura do que a ficção. No Centro de Pesquisa da Petrobrás (Cenpes), três trabalhadores de uma empresa que presta serviços à estatal foram retirados em camburão do trabalho e processados criminalmente. Um deles, Cláudio Charles Gonçalves, de 33 anos, está desde terça-feira preso na 54º DP, em Belford Roxo. No dia seguinte seria transferido para o presídio de Bangu. O crime cometido? Tentou levar para casa um frango jogado no lixo. Eles trabalham para a firma Ultraserve, contratada pela Petrobrás e responsável por servir as refeições no restaurante do Cenpes.
A retirada dos três rapazes do seu local de trabalho em camburão, diante de todos os colegas, aconteceu no dia 19 de julho. Diogo Cardoso, 27, também processado, é um jovem magro, de olhar assustado. Ele relatou que uma de suas funções na Ultraserve é recolher os sacos de lixo para descarte. Disse que as normas da Anvisa são muito rigorosas e os frangos, depois de descongelados, quando não aproveitados na refeição, são sempre descartados, “pois não poderiam ser congelados novamente”.
Assim, teria achado um desperdício aquele descarte. Com o produto já no lixo – dois ou três frangos – achou que não haveria problema em dividir aqueles restos de comida com um amigo. Foi o que fez, dividindo o descarte com Cláudio Charles, que no momento está preso. Segundo a sua esposa, ele está muito abalado emocionalmente, “por causa da vergonha a que está sendo submetido”.
O amigo Diogo – ambos são vizinhos na localidade de Nova Aurora, em Belfort Roxo – só não foi para a cadeia esta semana, porque não estava em casa quando a polícia chegou, a mando da Ultraserve, com ordem de prisão preventiva. O que não impediu sua esposa de passar por momentos de tensão, quando a polícia adentrou pela sua casa. Aos 27 anos de idade, Diogo já tem três filhos, um deles com necessidades especiais.
O terceiro trabalhador processado criminalmente pela Ultraserve é Marcos Paulo, de 24 anos, residente numa comunidade em Caxias. Ele trabalhava em outro restaurante do Cenpes, quando foi detido. Seu crime foi tentar levar para casa, achando que dava para aproveitar, “algumas barrinhas de chocolate quebradas e amassadas e um pouco de iogurte fora da validade”.
Se hoje Marcos Paulo não está detido em Bangu, preso preventivamente como se fosse um perigoso fora da lei, é porque não estava em casa, no momento em que a polícia chegou à casa de seus pais com a ordem de prisão.
O Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) denunciou há cerca de um mês, em editorial publicado no jornal Surgente, o absurdo daqueles processos criminais. Na ocasião, o sindicato já exigia providências da Petrobrás contra o que considerou um abuso de autoridade e desrespeito aos trabalhadores.
Mas, na terça (28), recebe uma notícia ainda mais inusitada: é decretada a “prisão preventiva” dos trabalhadores, a pedido da Ultraserve. Em apoio às vítimas dessa arbitrariedade, o sindicato indicou um advogado para acompanhar o caso. O mais ilógico é que as leis em vigor jamais condenariam à prisão três trabalhadores de ficha limpa, por tentar levar para casa ninharias destinadas ao lixo. A prisão preventiva deveria estar reservada a bandidos perigosos que ameaçam a sociedade.
Na manhã desta quarta-feira, os trabalhadores da Ultraserve fizeram uma paralisação no Cenpes, em solidariedade aos colegas injustados. Representantes do Sindipetro-RJ se reuniram com a gerência de Recursos Humanos (RH) do Cenpes e aguardam providências. O advogado que vai defender os trabalhadores dará entrevista à TV Petroleira, ao vivo, na próxima segunda-feira, 3 de setembro, às 19 horas) – o endereço eletrônico é tvpetroleira.tv