Visitantes

domingo, 12 de agosto de 2012

Grande Vitória no Boxe com Esquiva Falcão

Comentário: A história dos irmãos Falcão (Yamagushi e Esquiva) é uma lição de superação. As reportagens que foram ao ar mostrando como o pai (Touro Moreno) treinava os filhos utilizando de bananeiras deram o tom do poder transformador do esporte. Nascidos em uma família grande (uns falam em 9 outros em 11 filhos) esses jovens poderiam trilhar um caminho que tem sido o percorrido por muitos que vivem nas periferias das cidades, mas o boxe e a determinação dos pais os colocaram no caminho da vitória. Isso é bonito de se ver. Que no retorno ao Brasil eles possam ter o apoio de que necessitam para continuarem nesta luta cotidiana. Valeu Esquiva, valeu Yamagushi!

Família Falcão em Serra, Grande Vitória (ES)
Os feras

 

Pais de Yamaguchi e Esquiva Falcão relatam o orgulho pelas medalhas dos filhos nas Olimpíadas

Eles assistiram à luta de de Yamaguchi direto da Record e o que não faltou foi emoção


Pais de Yamaguchi não se seguram ao assistir à luta do filho. Crédito: Antonio Chahestian
Gabriel Vendramini, do R7
Yamaguchi é bronze! Depois de uma rotina suada, disputada, com muitas lutas seguidas, socos e concentração, o pugilista brasileiro chegou a semifinal do boxe dos Jogos Olímpicos categoria até 81 kg e não decepcionou, garantindo a medalha, mesmo com a derrota para o russo Egor Mekhontcev.
Direto dos estúdios da Rede Record em São Paulo, os pais de Yamaguchi e Esquiva Falcão, que disputa o ouro neste sábado (11), às 17h30 na categoria até 75 kg, dona Maria Olinda e seu Adegarde, conhecido como Touro Moreno, assistiram à semifinal de Yamaguchi. Os dois sofreram junto com o filho, teceram seus comentários e comemoraram muito a conquista inédita dos irmãos pugilistas para o boxe brasileiro.
A mãe disse que o filho se apavorou, mas que o orgulho é grande pelos seus meninos estarem na “terra da Rainha”:
- O Yamaguchi não lutou bem, não soltou a pegada que ele é acostumado a soltar. Se ele tivesse estudado o rapaz, como estudou o cubano, com certeza o ouro estaria mais perto. Para mim é uma emoção muito grande, estou alegre que eles foram a terra da rainha, coração bate forte, seria melhor se o Yamaguchi trouxesse o ouro, mas em 2016, teremos ouro.
Touro Moreno, como bom treinador que é, foi crítico, apontou o que ele considerou os erros do filho no combate e elogiou o adversário que venceu:
- O russo foi melhor, foi habilidoso, gostei do pugilista. Acredito que meu filho esteja cansado da rotina, preocupado com o peso. Mas o adversário era forte, fisicamente e tecnicamente. Achei que o Yamaguchi entrou nervoso, porque sabia que o adversário era bom, queria matar, derrubar o cara. Não é esse o boxe. Ele tinha a obrigação de estudar o adversário no primeiro round e segurar. Mas aconteceu, ele foi pra cima. Não soube esquivar, tomou pancada na guarda, ficou zonzo e deu sorte de não ter caído.
O pai de Yamaguchi e Esquiva, com cinquenta anos de boxe, deixou escapar que a emoção ao ver os filhos em ação é grande e afirmou que tem de segurar as lágrimas, a tensão e a euforia, seja na vitória ou na derrota.
- Tem que segurar para não gesticular, vem a lágrima, dá tremedeira. Quando eles estão vencendo é mais fervoroso, dá vontade de derrubar o cara junto e quando está perdendo a gente encolhe, fica preocupado, com medo de tomarem um nocaute, passar mal. E quando está ganhando a gente se agarra, se beija. Mas não perdemos, somos bronze.
Para fechar, Touro Moreno relatou o orgulho de ter seus garotos na elite dos boxeadores brasileiros e ressaltou a origem humilde e as dificuldades que a família e os filhos passaram:
- Nunca ouvi falar que dois irmãos foram para as olimpíadas e conseguiram medalha. A origem deles é humilde e vieram de dificuldade de vida, com pai e mãe desempregado. Vieram da pedreira. O que eles fizeram foi inédito e isso é muito bom. Estou feliz pelas duas medalhas e pela competição. Só de ter meus filhos nas Olimpíadas, já sou um pai feliz.

Boxeador brasileiro contesta medalha de prata em Londres 2012

Esquiva Florentino Falcão entendeu que pontuação na foi justa na final


Do R7
Esquiva Florentino Falcão ficou contente com a medalha de prata conquistada neste sábado (11) em Londres 2012, mas sabe que a decisão dos árbitros foi um tanto polêmica. O brasileiro perdeu para japonês Ryota Murata pelo placar de 14 a 13 depois de ter descontado um ponto.
— Estou muito feliz, de cabeça em pé porque sei que ganhei essa luta. Fiz meu máximo, todo mundo viu, todo mundo me aplaudiu e acho que tinha de vencer ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: