Visitantes

sábado, 7 de julho de 2012

Fátima Bernardes e o IBOPE

Fátima (4,7%) atinge
credibilidade da Globo

É o que a Globo tem a oferecer em termos de credibilidade e densidade.

É o que o Ali Kamel tem de melhor


Na última hora do programa “Encontro com Fátima Bernardes” desta terça-feira a leitura preliminar do IBOPE mostrava:

- SBT 6,3%

- Record 5,5%

- Globo 4,7%

(Esses números devem ser analisados com reserva: depois da leitura preliminar, depois que o jogo acabou, a Globo costuma fazer uns gols no Globope.)

O problema não é a Fátima: é a Globo.

O problema é o jornalismo da Globo.

Fátima foi 14 anos âncora do jornal nacional, desde a queda de Lillian Witte Fibe, ainda na desastrosa jestão de Evandro Carlos de Andrade na chefia do jornalismo da Globo.

Ele não entendia de televisão e fazia questão de dizer isso.

O desempenho de Fátima atinge a credibilidade do jornalismo da Globo, agora sob a batuta de Ali Kamel, renomado autor de reportagens (escritas), como o clássico “Não, não somos racistas” – rsrsrsrsrsrs

Fátima é o rosto do jornalismo global.

Ela, o Bonner e sua sucessora, Poeta.

É o que a Globo tem a oferecer em termos de credibilidade e densidade.

Ou seja, fora da zona de conforto, do sanduíche entre a novela “das Sete” e a “novela das Oito” é o que vale o jornalismo da Globo.

Fora do sanduíche, quanto daria o jornal nacional, amigo navegante ?

4,7% ?

Em tempo: outra ideia jenial do Evandro foi a Urubóloga Miriam Leitão. Imagine a Urubóloga fora da Globo, amigo navegante …


Paulo Henrique Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: