Visitantes

sábado, 19 de maio de 2012

Comissão da Verdade: Uma necessidade da história

"O tempo traz a luz !"


Comentário: Abaixo alguns comentários de Paulo Henrique Amorim acerca da Comissão da Verdade. É fundamental esclarecermos essas páginas de nossa história.

A Presidenta Dilma Rousseff deu posse nesta quarta-feira aos sete membros da Comissão da Verdade.

Ela chorou ao final.

(A reprodução não é literal.)

O Brasil merece a Verdade.

Aos que perderam amigos e parentes – é como se morressem a cada dia.

Se há filhos sem pais.

Pais sem túmulo.

Túmulos sem corpos.

Ela lembrou Galileu: a verdade é filha do tempo e, não, da autoridade.

Ela acrescentou: o tempo traz a luz.

E esse tempo chegou !

O Brasil não podia se furtar a conhecer a Verdade.

A totalidade de sua História.

A ignorância não pacifica, não ajuda a apaziguar.

A sombra e a mentira levam à intolerância.

Assim como saudou os que lutaram e enfrentaram a truculência ilegal do Estado, reconhece os pactos políticos (ou seja, a Lei da Anistia).

Observou que também hoje entra em vigor a Lei de Acesso à Informação: a transparência inibe o mau uso do dinheiro público e a violação de Direitos Humanos.

Ela reconheceu em Tancredo Neves a paciência e a competência para levar o Brasil do autoritarismo à Democracia.

Em Sarney, o mesmo esforço e habilidade para chegar à Democracia.

Lula, por enviar ao Congresso o projeto da Comissão da Verdade.

Fernando Henrique, pela Lei dos Mortos e Desaparecidos.

Collor, pela liberação de toneladas de documentos secretos do DOPS de São Paulo e do Rio.

Homenageou, também, Itamar Franco e Ulysses Guimarães.

E todos os que construíram 28 anos de regime democrático.

O Direito à Verdade, disse ela, é o direito de prantear os mortos e enterrar vítimas da ação do Estado ou sua omissão.

A Comissão não será revanchista, ela disse.

A Verdade é contra o esquecimento.

É memoria, História.


Paulo Henrique Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: