Visitantes

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A cassação do Prefeito de Campinas e a postura do PCdoB: nada como um dia após o outro (Parte 2)


 

 

Prefeito de Campinas (SP) é afastado um dia depois da posse



Na sessão da noite de quarta-feira (24), a Câmara Municipal de Campinas votou e aprovou, por 29 votos favoráveis e 4 contrários, o pedido de abertura de Comissão Processante protocolado na Casa pelo vereador Valdir Terrazan (PSDB) para investigar o atual prefeito da cidade, Demétrio Vilagra (PT).Também por 29 votos favoráveis e 4 contrários, os vereadores decidiram pelo afastamento do prefeito por um período de 90 dias, contados a partir da publicação do decreto.


Villagra tinha assumiu o cargo na véspera, após a cassação do então prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT). O substituto legal do prefeito será o presidente da Câmara Municipal, Pedro Serafim (PDT).

A comissão terá o prazo de até 90 dias para investigar o atual prefeito, suspeito de participação no mesmo esquema de fraudes na Prefeitura de Campinas e que provocou a cassação do prefeito anterior: corrupção em contratos da Sanasa, fraudes em licitações da Ceasa, favorecimento e nomeações de apadrinhados políticos.

Ao terminar a investigação, os vereadores integrantes da comissão poderão pedir que seja votado o impeachment de Vilagra. A comissão processante será formada pelos vereadores Rafa Zimbaldi (PP), presidente, e Zé do Gelo (PV), relator – que já integraram a comissão processante que levou à cassação de Santos – e Sebá Torres (PSB).

Vilagra é investigado pelo Ministério Público e chegou a ser preso, em maio, quando era vice-prefeito, em uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Com informações de Márcia Quintanilha, de Campinas


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: