Visitantes

sexta-feira, 15 de julho de 2011

6 meses do governo Paulada: Comparações com uma partida de futebol

 Esquema Tático 4-3-2-1 no governo Paulada

É público e notório que o nosso prefeito de Itaperuna, Fernando Fernandes “Paulada”, gosta muito de futebol. Há alguns dias tenho refletido sobre as semelhanças do seu governo com uma partida do esporte bretão. A seguir algumas considerações:
1) Se considerarmos que o governo Paulada se iniciou em janeiro de 2011 e que irá terminar em outubro de 2012, e se considerarmos esse período de 21 meses como uma partida de futebol de 90 minutos (o período de outubro a dezembro de 2012 são considerados acréscimos), nesse exato momento o governo Paulada está aos 25 minutos e 42 segundos do 1º tempo.
2) O jogo começou morno, muita gente não botava e continua não botando fé no time. Paulada deu umas pisadas na bola e também levou umas boladas nas costas. A torcida fica com um pé atrás, querendo saber se valeu a pena pagar o ingresso para esse jogo.
3) O fato é que a equipe não está muito entrosada. Existe muito individualismo. É gente fazendo firula pra lá, pra cá... Querendo valorizar seu passe e chegar no final da partida sem desgaste. Alguns jogadores tem vaga garantida em outro time, por isso não entram nas disputas de bola. Tiram os pés de tesoura e o corpo fora de qualquer dividida. A verdade é que o time está na retranca. Tem muito volante. É um time que não joga para a frente.
4) Pelo que se vê em campo, o time não tem esquema tático. Em algumas situações, Paulada tem que bater o escanteio e correr para a área para cabecear. O jogo segue no 0 x 0. A torcida começa a chiar.
5) Mas de repente com uma jogada espetacular, Paulada faz um golaço. Para esse feito contou com o apoio que veio de fora. Graças a um investimento do governo federal e estadual ele inaugura o placar, com um gol chamado UPA (Unidade de Pronto Atendimento). A torcida comemora de forma modesta, não se ouve muitos foguetes. Mas o fato é que esse gol tem tudo para melhorar a vida da torcida. Pela primeira vez os torcedores terão saúde PÚBLICA E DE QUALIDADE. O dinheiro dos ingressos será investido em uma unidade de saúde pública e não em entidades comandadas por cartolas que em nome da defesa da saúde desenvolvem projetos de apoderamento pessoal ou de grupos.
6) Mas para a torcida ver o jogo com outros olhos é preciso que Paulada promova uma campanha de sócio-torcedor. Não basta torcer, tem que participar. É necessário que os torcedores também decidam o futuro do time. A forma dos torcedores participarem das decisões é através de Colegiados, Conselhos e Fóruns de Discussões onde eles possam sugerir alterações na forma como esse time deve jogar.
7) Um dos esquemas táticos para esse time vencer a partida é o 4-2-3-1, aliás times como o Corinthians (líder do Brasileirão), o meu Botafogo (a gente ainda chega lá) e a seleção brasileira (do Ricardo Peixeira – argh!!!) tem adotado esse esquema com maior ou menor sucesso. No caso do time do governo Paulada teríamos:

No gol: A Secretaria de Gabinete e de Governo defendendo o gol do Paulada. Essa parte do time tem que passar confiança. Se o adversário passar da zaga, o time tem que saber que do goleiro não passa. Frango aqui nem pensar.

Na zaga: Obras e Agricultura. Responsáveis pela contenção e manutenção da equipe. Faz reparos e garante a boa saída de bola. A zaga tem que fazer o basicão, ser boa pro time poder criar e avançar.

Na lateral esquerda: Cultura, Esporte e Lazer. Como diria Ferreira Gullar, “a arte existe porque a vida não basta”. A Cultura, o Esporte e o Lazer deve chegar à linha de fundo e criar belas jogadas para encantar a torcida. Esse é um setor onde é possível se criar as mais belas jogadas como aquele memorável lançamento do Canhotinha para a escorada de Pelé e o gol do furacão Jairzinho na Copa de 70.

Na lateral direita: Ação Social, Trabalho e Habitação. Defende e avança e faz os lançamentos para os meias e o centro-avante. Quando a lateral direita tem harmonia com a Educação, a Saúde e o Desenvolvimento consolida-se o velho jargão: “mais importante que dar o peixe é ensinar a pescar”.

Dois volantes: Planejamento e Fazenda. Neste setor é que se cadencia o jogo, taí o suporte para a criação. Essa é a parte do time que dá sustentação para as ações do grupo.

Três meias atacantes: na ponta-esquerda a Educação a base para o desenvolvimento de qualquer sociedade, a Saúde, que dispensa comentários, e o Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Turismo –esses setores são fundamentais para a vitória do time. São esses três jogadores os responsáveis pela criação e para deixar o CENTRO-AVANTE na cara do gol.

Centro-avante: Como todo mundo sabe, um time não vive sem gols. Quem deve marcá-los? Sem dúvida o goleador. Espero que o nosso Prefeito cumpra esse papel.

A intenção desse texto é fazer uma análise dos 6 meses de governo Paulada. Como foi dito anteriormente restam ainda 64 minutos e 18 segundos do tempo regulamentar para que esse time vença a peleja e mostre a que veio. Como deixei claro em outros textos (http://emlugardeumacarta.blogspot.com/2011/04/os-100-dias-do-governo-paulada.html e http://emlugardeumacarta.blogspot.com/2011/01/estatuto-das-cidades-e-os-desafios-para.html ), tenho expectativa de que o Prefeito Fernando Fernandes inaugure uma nova etapa na política de Itaperuna e que vire a página do coronelismo que não tem nada a ver, definitivamente, com o século XXI.

2 comentários:

  1. Tentei me contagiar pelo seu otimismo.
    Infelizmente não dá.Quem sabe um dia...
    O que assisto há alguns anos morando por cá, é o "cada um por si".
    Nada de Políticas da Educação, ou Saúde ou de Assistência,ou...E nada de intersetorialidade (integração de secretarias e Políticas...),logo, Harmonia 0. Sem time, sem equipe,o gol não acontece de fato.
    A torcida precisa lotar o estádio, participar da jogada,acompanhar, empurrar o time,fazer barulho e se empoderar do gol.
    Muitos goleadores acreditam de fato que o gol lhe pertence, esquecem que precisaram/dependeram e continuarão dependendo da torcida.
    Quando aceitarem mudanças simples de paradigma(Será que esse dia chegará?)...O gol sai!
    Forte abraço
    +uma vez vc arrebentou no texto.Valeu! Elô

    ResponderExcluir
  2. Valeu Eloisa,

    Como dizia Mário Quintana, "a esperança é um urubu pintado de verde", mas de toda forma nós temos que acreditar na mudança e nos homens como vetor dessa mudança. Concordo com vc, o gol não é do goleador e sim da torcida e para a torcida. Espero que nos 64 min e 42 segundos que ainda restam desse jogo o centroavante caia na real de que o gol só vale a pena se a torcida participar. Muito agradecido pelo vosso comentário!

    ResponderExcluir

Preencha o formulário: