Visitantes

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Comunidade virtual da Câmara discute combate às drogas com sociedade

Pedro França
Presidente Marco Maia e Glória Perez (novelista da TV Globo)
Marco Maia e Gloria Perez, no lançamento da comunidade sobre drogas.
Durante o lançamento da comunidade Políticas Públicas de Combate às Drogas do portal e-Democracia, nesta quarta-feira (15), o presidente da Câmara, Marco Maia, destacou que o objetivo é integrar os cidadãos ao trabalho legislativo. “O portal é a ferramenta que vai levar os grandes debates que acontecem no Parlamento à mão do cidadão e permitir que ele contribua com as transformações que a sociedade brasileira almeja”, sustentou.

Para o coordenador do grupo de trabalho sobre participação popular da Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), o novo instrumento representa “uma revolução na relação do Parlamento com a sociedade”. De acordo com ele, há 23 anos, desde a promulgação da Constituição de 1988, os mecanismos de participação no processo legislativo permaneciam os mesmos.
Participação direta
Presidente da Comissão Especial de Políticas Públicas de Combate às Drogas, o deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) também ressaltou a importância de promover o debate direto com os cidadãos. O deputado lembrou que, recentemente, declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sobre legalização das drogas criaram polêmica. “Precisamos discutir esses temas. O portal vai permitir à população se posicionar sobre eles e dar sua contribuição.”
Na opinião do parlamentar mineiro, a participação direta vai ajudar a comissão na discussão de uma política nacional de combate às drogas. Segundo destacou, os eixos mais importantes dessa política são: prevenção, tratamento, requalificação profissional e repressão ao tráfico.
O relator da comissão especial, deputado Givaldo Carimbão (PSB-AL), adiantou que a proposta relativa ao tratamento de dependentes está avançada. Os grandes desafios, segundo ele, são a prevenção e a reinserção profissional.
Também presente no lançamento da comunidade virtual, a autora de novelas Glória Perez lembrou que, há dez anos, realizou uma campanha contra as drogas, durante a novela O Clone, “que teve enorme aceitação e recuperou muitas pessoas.” De acordo com ela, o diferencial da campanha foi tratar do tema sem “hipocrisia”, pois era protagonizada pelos próprios dependentes, que relatavam suas experiências de recuperação.
Interatividade
O portal e-Democracia foi reformulado para facilitar a participação dos internautas. De acordo com o coordenador do projeto, Cristiano Ferri, entre as alterações está a possibilidade de os próprios usuários iniciarem um debate. Se o assunto despertar muito interesse, um deputado será convidado a criar um fórum sobre o tema e, depois, poderá ser apresentado um projeto de lei.
Paulo Pimenta também destacou a conexão do portal com as redes sociais. Agora, sempre que um usuário acrescentar um comentário ao fórum, sua opinião será automaticamente reproduzida em sites como Facebook, Twitter e Youtube.
Reportagem - Maria Neves
Edição - Daniella Cronemberger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: