Visitantes

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Ciclista atropelado em São Paulo




O caso teve maior repercussão pelo fato da vítima ser um executivo. Infelizmente se o atropelado fosse um operário voltando do trabalho a mídia nem noticiaria. Todo ser humano é igual na hora da morte? Definitivamente não! A mídia dá coberturas diferentes nos óbitos. VIP´s ganham a primeira página, os pobres quiçá a página policial. Tirando isso, é lamentável a falta de respeito no trânsito. Definitivamente as atuais políticas de mobilidade urbana que privilegiam os carros não dão oportunidade para o transporte sobre bicicletas. É necessário ações para mudar esse quadro, a solução passa pelas ciclovias.

O empresário e ciclista Antonio Bertolucci foi atropelado na última segunda (13) por um ônibus, em uma alça de acesso da Avenida Paulo VI, na zona oeste de São Paulo. Ele chegou a ser levado para o Hospital das Clínicas, mas morreu após dar entrada, às 9h36, aos 68 anos. Bertolucci era acionista e presidente do Conselho de Administração do Grupo Lorenzetti, um dos principais fabricantes de duchas e chuveiros do país e todos os dias repetia o seu trajeto de bicicleta. O acidente reacendeu a discussão sobre a convivência entre carros e bicicletas na capital paulista.

Depois de sair de uma bicicletaria na Rua Arruda Alvim, Bertolucci desceu a Rua Galeano de Almeira e virou à direita na alça de acesso da Paulo VI, uma continuação da Avenida Sumaré. Segundo as testemunhas, nessa hora, o ciclista perdeu o equilíbrio e acabou caindo. E foi aí que o ônibus de turismo o atropelou.

O motorista alegou que Bertolucci estava no seu "ponto cego" e por isso só percebeu o atropelamento quando ouviu o barulho e viu o corpo caído no chão. Segundo a família do empresário, o ônibus estaria em alta velocidade e teria desrespeitado o Artigo 201 do Código de Trânsito Brasileiro, que diz que nenhum veículo pode ultrapassar um ciclista a menos de 1,5 metro de sua lateral.

A morte de Bertolucci vai ser investigada pela polícia, que abrirá um inquérito por homicidio culposo. A família do empresário disse que vai processar a empresa de ônibus e doará o dinheiro da indenização para a causa dos ciclistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: