Visitantes

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Os 100 dias do Governo Paulada




Ao completar 100 dias todo governo merece uma avaliação. Foi assim com Dilma, com Obama e não poderia ser diferente com o Prefeito Fernando Fernandes, o Paulada. O fato é que 100 dias pode ser pouco tempo, mas também é um prazo em que o cartão de visitas de uma administração pode ser entregue. Em uma postagem do dia 30 de janeiro (http://emlugardeumacarta.blogspot.com/2011/01/estatuto-das-cidades-e-os-desafios-para.html) afirmei que estava esperançoso em relação ao governo Paulada e recorri aos versos de Bob Marley “everythings gonna be alright” para reafirmar minha crença. Alertava para a necessidade de Itaperuna, diante da ascensão de um homem das camadas populares da cidade, implantar uma gestão democrática com participação popular mais efetiva. Citava o aniversário de 10 anos do Estatuto da Cidade como uma boa oportunidade para darmos passos nessa direção. Creio que gestos nesse sentido já poderiam ser dados pelo atual prefeito.
Paulada quase meteu os pés pelas mãos ao tentar cobrar a famigerada Taxa do Lixo. Espero que tenha desistido dessa ideia que politicamente corresponde a um tiro no pé. Recuar nessa cobrança foi importante para um governante que precisa (re)conquistar a confiança do povo da cidade. Todo mundo se lembra dos 7.224 votos obtidos por Paulada em Itaperuna na eleição para Deputado Estadual. Uma eleição para Prefeito é distinta da eleição para Deputado Estadual, mas para um número de eleitores superior a 65.000, o desafio que se apresenta para o nosso atual Prefeito é muito grande. Será que Paulada herdará os votos de Claudão? Ou uma herdeira legítima virá em 2012 para reivindicar essa herança? Paulada mexeu algumas peças no tabuleiro que dá a entender que ele pretende que o atual governo tenha a sua cara. Mas afinal de contas: que cara tem o governo Paulada? Eis a pergunta que não quer calar.
Alguns informes do Departamento de Comunicação da Prefeitura de Itaperuna nos dão conta de uma série de obras para a cidade. Essas realizações vão desde um restaurante popular (com certeza ajudará muito os trabalhadores do comércio, estudantes e operários da cidade), construção de uma praça no bairro Matadouro (mais áreas de lazer para a população), urbanização da beira-rio (será bom poder sentar à tarde e ver o retorno das garças para seus ninhos) e posto do IPEM (Instituto de Pesos e Medidas). Totalizando todas essas obras os investimentos chegam a R$ 10,7 milhões. Uma outra obra de vulto é o esgotamento das águas pluviais da Vinhosa, obra que gira em torno dos R$ 10 milhões. Essas seriam importantes realizações para o município. Mas obras como a UPA são uma necessidade de primeira hora para o povo e parece estar longe uma decisão para esse imbróglio. Ainda em relação às várias obras previstas, não se pode deixar para inaugurar tudo somente no ano que vem, pois isso terá uma conotação eleitoreira. O fato é que Paulada tem apenas 18 meses para mostrar a que veio e tentar se firmar como uma nova liderança política para Itaperuna. Lembrando de Renato Russo o lema de Paulada deve ser: “não temos tempo a perder”. Se Paulada insistir na agenda de grandes inaugurações, recorrendo mais uma vez ao poeta da Legião Urbana estará fazendo “mais do mesmo”.
Insisto que o caminho que a administração Paulada deve percorrer é um caminho novo. E caminho novo em Itaperuna é inaugurar uma era de participação popular, é fazer um governo democrático. Governo Democrático se realiza fortalecendo-se os Conselhos Municipais já existentes. Governo Democrático se realiza criando novos conselhos que permita ao povo uma representação verdadeira. Governo Democrático se realiza implantando-se a Gestão Orçamentária Participativa, em que o governo discute com o povo onde o dinheiro do povo será investido. Volto a dizer que tenho esperança. Minha esperança é de que Paulada o homem do povo governe para o povo. Minha esperança é de que o Caminho da Pedra Preta se torne uma terra plena de angatu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preencha o formulário: